GRANDES INOVAÇÕES: O CINTO DE SEGURANÇA

Foi em 1959 que foi vendido, pela primeira vez, um automóvel com um cinto de segurança, tal como o conhecemos, ou seja, de três pontos.

Sendo certo que anteriormente já havia sido usado o cinto de segurança, num formato básico e pouco seguro que apenas abraçava a cintura, o cinto de segurança só começou a ter verdadeiro impacto na segurança passiva quando surgiu a solução de três pontos.

O mérito da invenção é do engenheiro Nils Bohlin que, percebendo a ineficácia das soluções existentes, resolveu acrescentar a secção diagonal que impede os movimentos verticais e longitudinais do tronco.

Foi em 1962, quase três anos após a sua primeira aplicação, que a Volvo conseguiu obter a patente. Esta seria uma tremenda vantagem comercial para a marca sueca que, no entanto, percebendo que havia um bem maior em jogo, optou, generosamente, por oferecer a patente a todos os concorrentes, no sentido de permitir que se começasse rapidamente a salvar vidas e de forma global.

Estima-se que o cinto de segurança já tenha salvado muito mais de um milhão de vidas.