GRANDES INOVAÇÕES: CARROÇARIA “PONTON”

Há inovações que nos parecem hoje demasiado óbvias, mas que, no seu tempo, terão causado grande impacto, quer do ponto de vista técnico, quer do design. A carroçaria em formato “ponton”, é uma delas.

O que significa, afinal, o formato “ponton”? Trata-se de carroçarias em que os guarda-lamas dianteiros são visualmente contíguos ao capot, por oposição ao que sucedia na generalidade dos modelos pré-guerra, em que este elemento era separado, em alguns casos, acompanhando o movimento das rodas.

Foram sobretudo os benefícios aerodinâmicos a ditar esta evolução, mas depressa se tornou evidente que este formato traria muito mais liberdade aos designers e revolucionaria os métodos de construção.

O primeiro automóvel de que há memória sem guarda-lamas destacados, foi concebido por Paul Jaray, designer húngaro que viria a colaborar com a Tatra.
Ainda antes da guerra surgiram mais alguns projectos isolados de automóveis de competição com formato “ponton”, nomeadamente o Alfa Romeo Aerodinamica Spyder desenhado em 1935 e o igualmente futurista e elegante BMW 328 Mille Miglia de 1936.

Contudo, o primeiro automóvel de venda ao público – e construído em pequena série – a adoptar o formato “ponton”, seria o Cisitalia 202 de 1946, da autoria de Giovanni Savonuzzi. Um modelo muito exclusivo e usado sobretudo em competição, mas cujo design foi de tal forma inovador que lhe mereceu lugar permanente no MoMa – Museu de Arte Moderna de Nova Iorque, por considerar que este foi o modelo que transformou o design automóvel do pós-guerra.