HÁ 50 ANOS: LAMBORGHINI COUNTACH

Olhando para ele, nem parece verdade, mas foi há 50 anos que foi apresentado o muito futurista Lamborghini Countach.

O protótipo do Countach foi apresentado no Salão de Genebra de Março de 1971, ainda sob o nome de LP500 e sem as famosas entradas de ar laterais que seriam uma imagem de marca do modelo.

Como concept car, era imensamente arrojado, mas a grande surpresa terá sido verificar, em 1974, que o modelo chegou à produção com as formas praticamente inalteradas.

Suceder ao Miura, nunca seria tarefa fácil, já que o impacto do modelo de 1966 foi imenso e a sua popularidade perdurou até ao fim da produção. Contudo, nem a Lamborghini nem Marcelo Gandini estavam dispostos a repousar sobre os louros e a apresentar uma proposta de continuidade. Pelo contrário, a marca de Sant’Agata Bolognese optou por uma mudança radical em termos técnicos, pois embora o motor fosse essencialmente o mesmo, este foi rodado em 90º, passando a uma disposição longitudinal.

Esta opção permitiu baixar um pouco o centro de gravidade, já que o motor passava a assentar entre os eixos e a caixa de velocidades avançava para entre os passageiros. Por outro lado, obrigou avançar o habitáculo, o que justificava a opção por uma frente em cunha criando uma linha muito aerodinâmica.

De entre as opções singulares de Gandini, destaca-se as portas em tesoura, uma solução pouco prática mas esteticamente marcante, que a Lamborghini manteve até aos dias de hoje na sua gama V12, ou seja, Diablo, Murciélago, Aventador e, mais recentemente, o Sián.

Para muitos dos fãs do Miura, o Countach nunca foi um sucessor convincente mas, para a geração seguinte, é o exemplo perfeito da espectacularidade que um supercarro deve ter, de tal forma que todos os Lamborghini mantêm o essencial dos traços criados há 50 anos.