O SEU CLÁSSICO ESTÁ PRONTO A DESCONFINAR?

Ainda não sabemos exactamente quando, nem como, mas é quase certo que nas próximas semanas as regras irão mudar e permitir-nos saborear um pouco mais de liberdade da maneira que mais gostamos: aos comandos de um veículo antigo.

É provável que ao longo destes meses tenha encontrado formas de ir usando o seu  veículo antigo em deslocações quotidianas ou de trabalho mas, para muitos proprietários, estes foram meses de hibernação dos automóveis e motos de estimação.

Assim, há que preparar cuidadosamente e de forma atempada o regresso à actividade e escolher o momento certo. Assim, vale a pena pensar em alguns passos essenciais.

1 – Verificar níveis e pressões. Sabe aquela pequena fuga sem importância? Ao fim de vários meses, isso pode significar uma perda considerável de óleo ou do líquido de refrigeração.

2 – Dê atenção aos pneus. Não apenas à pressão, mas também ao estado deles. A imobilização prolongada, sobretudo no Inverno, pode levar a uma degradação acelerada da borracha, tornando-a seca e quebradiça, o que pode significar perda de eficácia ou, pior, risco de furo ou rebentamento.

3 – Uma boa limpeza pode ser importante. Sobretudo se a forma como esteve guardado deixou o veículo exposto a pó e outras sujidades que possam influenciar a aderência ou a visibilidade. Um automóvel com pó sobre os vidros, pode parecer limpo até surgirem os primeiros raios de sol pela frente, que provocam uma quase “cegueira” do condutor.

4 – Se não atestou, vá atestar. Um dos procedimentos que se deve ter antes de se imobilizar um veículo durante meses é encher o depósito de modo a evitar condensação. Se não o fez, aproveite para o fazer agora. Isto porque a gasolina, quando parada muito tempo no depósito, também vai perdendo propriedades.

5 – Mesmo que o veículo tenha arrancado sem esforço, garanta que a bateria está carregar antes de se aventurar em deslocações maiores.

6 – Idealmente, escolha um dia de sol para voltar à estrada, para que não volte a guardar o seu veículo com humidade ou sujidade. É que, infelizmente, não se sabe quando vai poder voltar a sair e, por isso, convém guardá-lo em condições ideias.

Divirta-se no ansiado regresso à estrada mas não esqueça nunca todas as medidas sanitárias essenciais para que essa liberdade possa ser duradoura.