Os leilões de Paris
Como já é tradicional, as maiores casas do sector aproveitaram a realização de mais edição da Retromobile de Paris para realizarem os seus leilões. Misturando, em alguns catálogos, automóveis actuais com os Clássicos, modelos bem diferentes foram os mais caros de cada um dos leilões.
Na venda levada a cabo pela britânica Bonhams o destaque foi para os automóveis pré-Guerra. Mais do que isso, o mais caro foi um Pioneiro, um Fiat Type 24/32, 1904 (na imagem), que foi vendido por cerca de 700 mil euros.
Sem que qualquer dos modelos deste catálogo tivesse atingido o milhão de euros, um Bugatti Type 57 Torpedo TT, de 1935, foi vendido pelo mesmo valor que o Fiat e por pouco menos transacionou-se Bentley 3-liter ‘Red Label’ Speed Tourer, de 1926.
Já no leilão da RM/Auctions dominaram os veículos actuais, sendo o Clássico mais caro um BMW 507 Serie II, de 1958, que foi vendido por 1,7 milhões de euros.
O leilão onde foram atingidos os valores mais elevados foi o realizado pela Artcurial, com um Bugatti Type 57C Coupe Atalante, de 1938, a ser vendido por 2,9 milhões de euros, registando-se mais quatro vendas de Clássicos por mais de um milhão: um Maserati A6 GCS/53 Spyder, de 1954 (2,4 milhões), um Porsche 904 GTS (1,8 milhões) e um Mercedes-Benz 300 SL (€1.158.270).