Retromobile de Paris

 

Decorre até domingo, dia 10, a 44ª edição da Retromobile de Paris, todos os anos o primeiro dos grandes salões internacionais de Clássicos. Um salão onde fica patente a aposta crescente dos construtores actuais nos Automóveis Antigos.
Para além da Citroën, que este ano tem uma presença destacada por estar a comemorar o seu centenário, é clara a forte aposta das principais marcas do sector automóvel.
Com alguma naturalidade, os outros construtores franceses apostam forte no certame das Portas de Versailles. A Peugeot, por exemplo, levou para o certame o seu primeiro veículo eléctrico, VLV, de 1941, um pequeno automóvel que era alimentado por quatro baterias de 12 volts, que lhe permitiam uma autonomia de 80 quilómetros e uma velocidade máxima de 36km/h.
Já na Renault a aposta foi nos modelos dotados de motor com turbo – por forma a assinalar os 40 anos da primeira vitória na F. 1, com o RS 10 –, sendo os veículos de estrada mais antigos os 5 e 18 Turbo, de 1980.
Mas, de todas as latitudes vieram, com representações oficiais, os principais construtores da actualidade.
A BMW dividiu-se pela marca bávara propriamente dita e também pela Mini, cujo modelo original está a comemorar 60 anos.
Porsche e Mercedes, vindas da Alemanha, Jaguar, Land Rover, Aston Martin e Bentley, de Inglaterra, e ainda a Lamborghini (mostrando o restauro feito pelo seu Polo Storico a um Miura propriedade de Jean Todt) e o Grupo Fiat-Chrysler (que destaca a Abarth), provenientes de Itália, são outras das marcas que ocupam amplos espaços no “mundo” que é a Retromobile.