ESTUDO FIVA: QUANTO GASTAM OS AFICIONADOS?

No dia 1 de Setembro de 2020, a FIVA lançou uma nova edição do Estudo Sócio-Económico do movimento dos automóveis antigos, com objectivo é o de fazer um retrato fiel dos benefícios sociais, culturais e económicos deste movimento, por oposição ao impacto ambiental.

O inquérito foi realizado em todos os países onde a FIVA está representada e está dividido em três versões

– Inquérito global aos Entusiastas dos Veículos Históricos;
– Inquérito global aos Clubes de Veículos Históricos;
– Inquérito global a todos os Profissionais e Empresas a operar no sector dos Veículos Históricos

Os resultados foram já divulgados às ANF – Autoridades Nacionais FIVA, que no caso de Portugal é o CPAA. Por essa razão, iremos dar a conhecer, ao longo dos próximos dias, alguns dos dados mais relevantes.

QUANTO GASTA UM ENTUSIASTA PORTUGUÊS?

O consumo directamente relacionado com este hobby que cada entusiasta faz, é um dos factores que demonstra o quão importante é o movimento dos automóveis antigos enquanto dinamizador da economia e criador de riqueza.

De uma amostra de cerca de 300 entusiastas portugueses que responderam ao inquérito, foi possível apurar que, em média, cada entusiasta tem 3654€ em manutenção e utilização dos seus veículos históricos.

Os gastos não se resumem, no entanto, ao veículo, pelo que cada entusiasta nacional despende, em média, 1251€ na participação em eventos, valor que inclui a inscrição, alojamento, alimentação, etc).

Mesmo sem sair de casa, os apaixonados dos veículos históricos, aplicam algumas das suas economias no seu hobby, contando-se uma média de 615€ anuais gastos em quotas de clubes, revistas, coleccionáveis e automobilia.

A soma de todos estes factores totaliza uma média anual de gastos por entusiasta na ordem dos 5520€.