ESTUDO FIVA: QUANTOS KM FAZEMOS?

Quando se fala em poluição automóvel, a noção do público menos informado é a de que os veículos mais antigos são grandes poluidores. O que não têm em conta é a escassa utilização a que estes veículos são sujeitos, tornando o seu impacto ambiental totalmente insignificante por comparação com os transportes de uso diário e outras fontes de poluição.

O inquérito aos proprietários nacionais  revelou que cada veículo histórico registado em Portugal percorre anualmente, em média, 939km. Sendo que cada proprietário tem em média mais de dois veículos, o total de quilómetros percorrido por cada uma destas pessoas em veículos históricos é de 2159.

O valor sobe apenas quando se trata de veículos pré-clássicos, como seria de esperar por estarem mais adaptados a uma utilização frequente. Ainda assim, o valor fica-se por uns parcos 2973km anuais. Sublinhe-se também que estes são, regra geral, modelos que produzem muito menos emissões poluentes, sendo na sua maioria catalisados.

São estes números que permitem provar que os veículos de interesse histórico têm de ficar de fora da mira das necessárias medidas de defesa ambiental, pois o impacto da sua utilização é irrisório, mas o impacto da sua conservação é extremamente positivo do ponto de vista económico e social, como fica também provado neste estudo.