50 ANOS DO FIAT X1/9

Pode não parecer, mas Fiat X1/9 já conta meio século. Embora não tenha tido uma expressão comercial extraordinária, a influência na indústria é considerável.

No final dos anos 60, a Bertone estava ocupada com a produção do elegante Fiat 850 Spider e havia necessidade de pensar em algo que pudesse servir os interesses da Bertone e, simultaneamente, pudesse ser oferecido à Fiat como uma solução de continuidade no segmento.

Marcello Gandini tinha acabado de se libertar de um dos trabalhos mais importantes e emblemáticos da carreira, o Lamborghini Miura, e foi incumbido de desenhar um novo projecto para apresentar à administração do Grupo Fiat. Sabendo-se que, por esta altura a marca estava apostada nos modelos de tracção, com motor transversal, havia dois caminhos possíveis: ou sugerir um descapotável com esse formato, ou arriscar tudo e a apresentar um estudo para um modelo de motor central, aproveitando a mecânica transversal.

Optando pelo caminho menos óbvio, Gandini desenhou um concept car com base na mecânica do Autobianchi Primula, que posteriormente equiparia o Fiat 128. A inspiração para as linhas, segundo o Mestre, veio do perfil das potentes lanchas “offshore”. O nome do exercício de estilo seria Autobanchi A122 Roundabout e a apresentação ao público aconteceu no Salão de Turim de 1969, precisamente no momento em que era lançado o Fiat 128. O agrado foi grande no público, na imprensa e na administração da Fiat, que deu luz verde à ideia,

Quando o desenho final foi conhecido e o automóvel foi colocado à disposição dos jornalistas, o impacto foi tremendo, primeiramente porque era o primeiro modelo de motor central concebido para um segmento baixo e sem ter a competição como mote.

A segunda surpresa era o tipo de design, até então nunca visto num segmento de mercado tão baixo. O Fiat podia ter um motor 1300cc de apenas 75cv, mas o desenho anguloso era do mesmo calibre do Lancia Stratos HF Prototipo apresentado um ano antes, e na mesma linha de outros modelos notáveis de Gandini como o Lamborghini Urraco e, posteriormente, o Countach. Tinha nascido um ícone.

O primeiro X1/9, usava o motor 1.3 do 128 Coupé e a mesma caixa de velocidades, com a particularidade de uma quarta mais longa,

Para muitos, a ficha técnica era desalento suficiente para desistir de experimentar e, atenta a isso, a Fiat acabaria por introduzir o motor 1500cc com caixa de cinco velocidades e 85cv derivado do Fiat Ritmo.

Com um baixo peso total e uma agilidade fora de série, o X1/9 marcou a época e quem o experimenta, fica ainda hoje surpreendido pelos níveis de conforto, pela ergonomia de qualidade e pelo espaço disponível para carga e passageiros.

Na fase final os direitos de venda e produção do X1/9 foram adquiridos pela Bertone, que o vendia sem usar o nome Fiat.